Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

O Canil Municipal que é referência no RS quando o assunto é bem-estar animal

Que o Canil Municipal de Gravataí é referência no Estado todo mundo sabe, mas tem quem diga que poucos são os locais que possuem tantos recursos; desde a castração, as alas de reabilitação e tratamentos para cachorros, gatos e equinos, ousando a dizer que o canil municipal já é conhecido entre as ONGs de nível nacional.

Com cerca de 1.200 metros, 48 baias em uma área de acolhimento, além de salas de recuperação e espaços operatórios, o Canil Municipal de Gravataí realiza diariamente cerca de 30 consultas, além de 20 agendamentos de castração, deixando o local movimentado para uma área afastada do perímetro urbano.

O entra e sai de pessoas, que vem buscar ajuda, ou então, que chegam para ajudar, mostra a eficiência e a referência que o Canil Municipal se tornou, desde 2013, quando passou por uma reestruturação, no primeiro governo do prefeito Marco Alba. A todo o momento chegam pessoas trazendo seus animais, vítimas de atropelamentos e acidentes domésticos.

Fora os que são encontrados abandonados, e removidos ao canil, que conta com os voluntários, que são ativistas da causa animal, como conta uma delas, Eliane Magali. “Todos os dias me chamam para casos de animais abandonados, eu mesmo recolho e trago aqui, e fizemos isso incansavelmente, por amor mesmo”, contou ela.

Trabalho por amor

Acompanhados da coordenadora do Bem-Estar Animal da Prefeitura de Gravataí, Márcia Becker, e do funcionário do Canil, Cleber dos Reis, a reportagem do Giro de Gravataí caminhou pelas dependências do local, e que conforme Cleber, é sua segunda casa. “Isso não é um emprego, é nossa segunda casa. Ninguém aqui bate o ponto e vai embora. Fizemos isso por amor, e te garanto, todos que estão aqui gostam de trabalhar no local, e não enfrentam isso como serviço. É gratificante demais ver as condições que estamos hoje”, contou.

O Canil conta hoje com 11 tratadores, dois veterinários, duas pessoas que estão lotadas como administrativos, e quase 100 voluntários. Cerca 350 cachorros, mais de 20 equinos e gatos estão no canil e recebem supervisão constante, além de medicamentos e tratamentos específicos para cada caso.

Márcia conta que na grande maioria das situações, os animais estão aposentados do serviço, destaca ela ao comentar sobre os cavalos e éguas, que diariamente são retirados das ruas, vítimas de maus-tratos e que não conseguem mais andar.

“Esses animais que estão aqui, alguns gatos com doenças infecciosas e as éguas e cavalos ficarão até o fim da vida. Foram retirados de situações de abandono, dor, trabalho pesado, e agora estão sossegados. Alguns donos dos animais tem a audácia de vir buscar, mas não tem jeito! Daqui eles não vão sair”, contou.

Ambiente chama a atenção

Caminhando pelas dependências do Canil uma coisa chama a atenção: “são as condições na qual os animais estão”. Se esta frase estivesse encaixada em uma reportagem a cerca de seis anos atrás, logo pensariam no pior, já que o canil foi alvo de denúncia no Ministério Público (MP), quando em 2012, foi intertidado por comprovação de maus-tratos aos animais, além das condições insalubres em que eram mantidos.

No entanto, desde o investimento feito pelo governo municipal, as condições do canil chamam a atenção pela limpeza e organização que é mantido. Água sempre fresca e os vasilhames cheios de ração, na qual os animais são alimentados duas vezes ao dia. A cada 15 dias os cuidadores também tem o cuidado de trocar os líderes das matilhas. A atenção é redobrada também na alimentação, que é mantida com um padrão estipulado pelos veterinários para que os animais não fiquem obesos ou desnutridos.

A água da chuva é reaproveitada. O sistema, implantado na reconstrução do canil, permite que canos interligados a cisternas consigam captar a água da chuva, sendo tratada e repassada aos animais, mas sempre com a supervisão e exames para informações da qualidade do líquido. 

Canil que dá mais um chance de vida

No campo, dentro do limites do terreno, cerca de 15 equinos pastam livremente, e alguns se mantém nas baias sendo tratados, já que sofreram graves lesões, e estão se recuperando. Na ala dos cachorros e gatos a mesma coisa. Uma ala aonde eles ficam em observação, tomando soro e fazendo o uso de medicamentos, já que sofreram graves traumas. E são diversos casos, como casos de atropelamentos, abandonos entre outros.

Os animais e seus novos donos

Embora a perda de alguns animais seja inevitável, devido ao grau de crueldade que eles são encontrados, como conta Márcia, a adoção por parte da comunidade torna o trabalho mais prazeroso, já que completa um ciclo, desde o resgate, até a ressocialização. “Fora o pessoal que maltrata e tenta vir buscar depois, nós temos realmente pessoas, familiares que vem aqui para adotar um novo animal, um cachorro para os filhos, ou para quem tem sítio, um cavalo, uma égua.

Na medida do possível, e após uma rígida investigação, eles podem sair daqui e ir para um novo lar”, contou ela, que faz uma pré-inspeção no futuro lar dos animais, afim de coibir qualquer tipo de retorno deles ao trabalho pesado ou em casos de uma nova situação de maus-tratos.

Caminhando pelos locais, Márcia e Cleber ainda contam um dos casos de adoção que chamam a atenção, e que dão margem ao sentimento de amor a gratidão pelos animais. “Um casal com um filho autista veio aqui conhecer, e o menino se apaixonou por uma égua, ele abraça, beijava ela. Então, os pais ficaram interessados em dar de presente para o menino.

Avaliamos o porque, e o local que eles residiam – em um sítio, então eles levaram a “estrelinha” – apelido dado pelo próprio menino no dia da visita”, disse. Cleber finaliza. “É gratificante demais, não adianta, nós damos nossas vidas aqui por estes animais, e graças a eles temos essa bondade. Eles são as estrelas aqui, eles são os protagonistas”, destacou.

Os projetos e investimentos do Canil

Márcia frisa que as proporções que o canil tem tomado, e a referência que virou nos diferentes quesitos, se dá a um trabalho árduo, mas de coração. Além disso ela ressaltou o investimento por parte do governo municipal, e fez projeções para os próximos anos. “Além de todo esse nosso empenho, das pessoas que amam os animais, temos um investimento do governo municipal que é impecável, que mantém com os gastos da alimentação, das instalações, e que acredita em um futuro melhor e consciente também para os animais. 

Ela também pontua um dos projetos de investimento no Canil, para fomentar nos bairros os cuidados que devemos ter com os bichos. “Temos um projeto que está sendo pesquisado, de comprar um ônibus, uma van e ir nas comunidades fichar as pessoas que querem castrar seus animais, assim fizemos a remoção deles até o canil, e em seguida, retornamos para o bairro. É uma maneira de viabilizar o serviço que fizemos aqui no canil, e também de aproximar a comunidade do nosso trabalho, com a distribuição de materiais sobre os animais, os cuidados, em fim..”, finalizou Márcia. 

Como posso adotar um animal?

Para adotar você deverá comparecer no Canil Municipal de Gravataí, que fica na Estrada Leonel Cabeleira Bitello, 271 – Costa do Ipiranga. O Canil atende pelos telefones 34860229 ou 992265955.

Write a Comment

view all comments