Esporte

Juliano Piasentin | O péssimo exemplo de Romildo Bolzan Jr; Não, o futebol não deve ser prioridade

Publicado

-

Presidente do Grêmio, Romildo Bolzan errou em declaração, critica Juliano Piasentin. Foto: Lucas Uebel/Grêmio

O presidente gremista Romildo Bolzan Jr, quase sempre feliz em seus posicionamentos e declarações, desta vez errou feio. Ao declarar que o Grêmio irá treinar em Santa Catarina por ser um “um local onde o futebol seja uma prioridade”, ele se mostra avesso a atual situação sanitária brasileira, afinal estamos no auge de uma pandemia.

O local já foi inclusive decidido, será em Criciúma. Em nota oficial o clube afirmou que o futebol precisa sobreviver à pandemia e por isso a decisão de ir trabalhar no estado vizinho. Compreendo as necessidades, porém uma frase como essa em um momento em que mais de 58 mil brasileiros perderam a vida pelo coronavírus, é no mínimo infeliz.

Já o governador Eduardo Leite (PSDB) está correto em sua afirmação: “O retorno do futebol neste momento não é uma prioridade. Por mais que seja com portões fechados, provocará aglomeração nas turmas, nos amigos que se reúnem. Precisamos ganhar tempo para o retorno do futebol”. Justamente nesta tecla que sempre bati nas colunas anteriores, por mais que os clubes tenham segurança, um jogo de futebol sempre causaria aglomerações e é justamente isso que precisamos evitar.

Não gosto de ser repetitivo, no entanto diante de desfavores que estamos vendo em nossa sociedade, me obrigo a fazê-lo. Vou seguir falando que precisamos salvar vidas, nos preocuparmos com a saúde, em resolver as questões da educação. O futebol? Ele pode esperar, pelo menos para ganhar tempo como afirmou o governador gaúcho.