Setembro Amarelo: Cinco métodos de identificar um comportamento suicida



Durante todo o mês de setembro a Prefeitura Municipal de Gravataí montou um cronograma de atividades para o Setembro Amarelo – campanha de valorização à vida, que tem por objetivo, o tratamento da saúde mental e a prevenção contra o suicídio. O Giro de Gravataí preparou um artigo com cinco sinais que podem identificar um comportamento suicida.

Mostrar tristeza excessiva e isolamento

Estar frequentemente triste e sem vontade para participar em atividades com os amigos ou fazer o que se fazia antigamente são alguns sintomas de depressão, que, quando não tratada, é uma das principais causas do suicídio.

Normalmente, a pessoa não consegue identificar que está com depressão e acha apenas que não está sendo capaz de lidar com as outras pessoas ou com o trabalho, o que, ao longo do tempo, acaba deixando a pessoa desanimada e sem vontade para viver.

Sofrer alterações de comportamento ou visual

Uma pessoa com ideias suicidas pode comportar-se de forma diferente do habitual, falando de forma diferente, deixando de conseguir entender o humor de uma conversa ou, até, participando em atividades de risco, como utilizar drogas, ter contato íntimo desprotegido ou dirigir a grande velocidade.

Além disso, como na maioria das vezes já não existe interesse pela vida, é comum que se deixe de dar atenção para a forma como se veste ou se cuida, utilizando roupa velha, suja ou deixando crescer o cabelo e a barba.

Tratar de assuntos pendentes

Quando alguém está pensando cometer suicídio é comum começar a fazer várias tarefas para tentar organizar sua vida e terminar assuntos pendentes, como se fosse viajar ou viver para outro país. Alguns exemplos são visitar familiares que já não vê há muito tempo, pagar pequenas dívidas ou oferecer vários objetos pessoais, por exemplo.

Em muitos casos, também é possível que a pessoa gaste muito tempo escrevendo, o que pode ser um testamento ou até uma carta de despedida. Por vezes, estas cartas podem ser descobertas antes da tentativa de suicídio, ajudando a evitar que aconteça.

Demonstrar calma repentina

Demonstrar um comportamento calmo e despreocupado depois de um período de grande tristeza, depressão ou ansiedade pode ser um sinal de que a pessoa está pensando no suicídio. Isso acontece porque a pessoa pensa ter encontrado a solução para o seu problema, deixando de se sentir tão preocupada.

Muitas vezes, estes períodos de calma pode ser interpretados pelos familiares como a fase de recuperação da depressão, por exemplo, e, por isso, podem ser difíceis de identificar, devendo ser sempre avaliados por um psicólogo, para garantir que não existem ideias suicidas.

Fazer ameaças de suicídio

A maior parte das pessoas que estão pensando em suicídio irão informar um amigo ou familiar das suas intenções. Embora esse comportamento, muitas vezes, seja visto como uma forma de chamar a atenção, nunca deve ser ignorado, especialmente se a pessoa está vivendo uma fase de depressão ou de grandes alterações na sua vida.

Mas você sabe como e aonde procurar ajuda?

Se suspeitar da atitude de alguém, busque para ela um profissional qualificado, como um psicólogo ou psiquiatra, para tentar mostrar à pessoa que existem outras soluções para o seu problema, que não o suicídio. Uma boa opção é ligar ara o Centro de Valorização da Vida, ligando para o número 141. A Prefeitura também disponibiliza de um cronograma com as datas e os horários em que as Unidades Básicas de Sáude (UBS) e Unidades de Saúde da Família (USF), fazem o atendimento específico à saúde mental.

Na UBS

Cohab A: 2ª quinta-feira do mês, 14h – UBS Cohab A

Cohab B: 1ª terça-feira do mês, 9h30 – Associação Cohab B

Bonsucesso: 3ª terça-feira do mês, 15h, ASCAB – Psicólogo

Centro: 4ª quinta-feira do mês, 14h – UBS Centro

Morada do Vale I: 3ª quinta-feira do mês, 15h – Igreja Santa Rita

São Geraldo: 3ª terça-feira do mês, 14h – UBS São Geraldo

São Judas Tadeu: 1ª quinta-feira do mês, 15h – Associação Vila Elisa

Vera Cruz: 2ª terça-feira do mês, 15h – UBS Vila Branca

Vila Aliança: 4ª quinta-feira do mês, 15h – USF Érico Veríssimo

Vila Branca: 2ª terça-feira do mês, 15h – UBS Vila Branca

Quilombo Manoel Barbosa: 4ª quarta-feira do mês, 14h – Quilombo Manoel Barbosa

Na USF

Águas Claras: 4ª terça-feira do mês, 15h – Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Aristides D’Ávila: 3ª sexta-feira do mês, 14h – USF Aristides D’Ávila

Barro Vermelho: 2ª quinta-feira do mês, 15h – USF Barro Vermelho

Cohab C: 3ª quinta-feira do mês, 14h – USF Cohab C

Costa do Ipiranga: 2ª quarta-feira do mês – USF Costa do Ipiranga

Érico Veríssimo: 4ª quinta-feira do mês, 15h – USF Érico Veríssimo

Granville: 1ª sexta-feira do mês, 14h – USF Granville

Itacolomi: 3ª terça-feira do mês, 09h30 – USF Itacolomi

Itatiaia: 1ª terça-feira do mês, 15h – USF Itatiaia

Morada do Vale II: 4ª terça-feira do mês, 15h – Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Morungava: 2ª segunda-feira do mês, 14h30 – USF Morungava

Neópolis: 3ª terça-feira do mês, 09h30 – USF Itacolomi

Nova Conquista: 2ª e 4ª terça-feira do mês, 09h – CAPS II

Parque dos Anjos: 2ª sexta-feira do mês, 14h30 – USF Parque dos Anjos

Parque dos Eucaliptos: 3ª terça-feira do mês, 15h – ASCAB

Princesa Isabel: 1ª quinta-feira do mês, 15h – Associação Vila Elisa

Santa Cecília: 4ª sexta-feira do mês, 13h – USF Santa Cecília

São Marcos: 1ª segunda-feira do mês, 14h – USF São Marcos

No CAPS II

Grupo Violeta: 2ª e 4ª Terça feira do mês, 09h – CAPS II

 


Escreva um comentário

Ver todos os comentários  

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *