Destaque Home

Polícia vai montando quebra-cabeça de ataque à morador em condomínio de luxo em Gravataí

Publicado

-

Condomínio de luxo fica às margens da BR-290, em Gravataí. Foto: Divulgação/Reprodução

Muitos moradores nem tinham ficado sabendo, outros que ficaram sabendo tentam especular para descobrir quem é o morador de 45 anos, esfaqueado dentro de sua própria casa, em uma das quadras do condomínio Paragem Verdes Campos – residencial de luxo localizado em Gravataí, às margens da BR-290.

Já uma testemunha foi mais afundo. Informou à polícia que ouviu uma discussão no interior da residência no último domingo, data do crime. De lá saiu o homem à caminho do Hospital Dom João Becker. Ele sobreviveu ao golpe de faca desferido por um desconhecido, que havia invadido sua “mansão”, e que fugiu logo depois sem deixar rastros, conforme sua versão aos investigadores da Polícia Civil.

Familiares dele também não souberam dar detalhes das características do suspeito, o que acabou gerando um desconforto para os moradores, que levantaram as suspeitas de uma possível invasão. Até mesmo os agentes da Delegacia de Homicídios de Gravataí, que investigam o crime, tratado como tentativa de homicídio, passaram pelo mesmo sistema de verificação ao ingressar no residencial. Fontes consultadas e que residem no local informaram que seria praticamente impossível ter sido um ataque promovido por um homem que tivesse entrado pelas entradas do condomínio.

Para o delegado responsável pelo caso, a dinâmica informada pela vítima não foi confirmada. “Estamos montando o caso. Já temos algumas informações, mas estamos mantendo sob sigilo para não atrapalhar o restante das investigações. O que temos no momento é que a informação passada pela própria vítima e por parentes não foi confirmada, ninguém aparentemente invadiu o condomínio, tentou matar a vítima e fugiu sem deixar rastros”, destacou Eduardo do Amaral, titular da Delegacia de Homicídios.

Conforme informações extraoficiais, imagens do circuíto interno do condomínio foram cedidas aos agentes, mas em uma análise preliminar nenhuma movimentação suspeita foi vista. Ainda segundo o delegado, a vítima possuia antecedentes criminais e estava sob o uso de tornozeleira eletrônica. A Polícia pede que informações anônimas sejam passadas afim de ajudar no andamento das investigações.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias