Destaque Home

Polícia segue a rota do tráfico de animais silvestres

Publicado

-

Na era digital tudo ficou mais fácil, inclusive para fazer compras. No entanto, se facilita para o legal, o ilícito aproveita e voa junto. Entre o comércio de drogas e produtos de furto e roubo na internet, um vem se destacando e chamando a atenção da polícia. Pelo menos em Gravataí.

Uma compra realizada por meio de troca de mensagens em uma rede social resultou em mais uma apreensão de animais silvestres na manhã desta segunda-feira (19). A denúncia que chegou também pelo Whatsapp levou o Grupamento Ambiental da Guarda Municipal de Gravataí a montar a ação que interrompeu a venda dos animais. Acompanhados dos agentes da
1ª Delegacia de Polícia (DP) de Gravataí eles deflagraram mais uma etapa da Operação Voo Livre.

23 Papagaios Amarelos e dois Papagaios Charão foram apreendidos no momento em que iam ser vendidos, em um posto de combustíveis na parada 92 da ERS-030. Conforme o Grupamento Ambiental, o Charão está na lista vermelha e já consta como uma das aves sul-americanas mais ameaçadas de extinção.

Após a apreensão o grupo realizou diligências em Porto Alegre afim de localizar outros animais na casa dos homens, apontados como os mediadores da venda das aves. Ainda conforme apurou a investigação, dois tucanos também estariam disponíveis para a venda, e que segundo a polícia, seriam comercializados no valor de R$ 5 mil reais cada. Os dois papagaios Charão já tinham valor. Cerca de R$ 600 reais cada. Já os papagaios amarelos seriam vendidos por R$ 60 reais cada um. 

As três pessoas presas durante a ação foram levadas para a Delegacia de Pronto Atendimento de Gravataí aonde assinaram um termo circunstanciado e responderão por crimes ambientais. Ainda segundo a polícia, as ações para coibir crimes contra a fauna silvestre deverão prosseguir afim de identificar a ramificação das quadrilhas responsáveis pelo tráfico dos animais.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias