Opinião política: A nova eleição em Gravataí | André Santos



O TSE definiu ontem o que muitos já contavam como certo, uma nova eleição em Gravataí será realizada para definir o prefeito que não pode ser escolhido no último dia 02 de outubro devido ao processo de Daniel Bordignon.

 

Antes de reclamar sobre ter que sair de casa para votar num domingo de eleição fora de época pense: Você votou em Daniel Bordignon? Se sim, não reclame, você foi cumplice da falta de respeito que o PDT teve com Gravataí.

 

Foi pela terceira vez ao longo a história política de Gravataí que o ex-prefeito Daniel Bordignon concorreu impugnado. Em 2008, usando a lógica do poste (“eu elejo um poste” – Daniel Bordignon) ele conseguiu, na última semana, colocar a então candidata a vice na chapa do PT, Rita Sanco como candidata a prefeita, ela venceu, três anos e meio depois foi cassada.

 

Em 2012, em mais uma tentativa de concorrer impugnado, Daniel teve seus votos anulados, mesmo se fossem validados os mesmos não serviriam para nada, Marco Alba venceu com quase dez mil votos de diferença. O que não aconteceu em 2016, quando o ex-prefeito petista, agora no PDT, concorreu sob o mesmo processo de 2008 e 2012, obtendo maioria dos votos não poderia ser declarado vencedor, pois seu processo ainda não tinha se encerrado.

 

Eis que se inicia o 2° turno eleitoral em Gravataí, mas não foi nada parecido com o que Marchezan e Melo fizeram em Porto Alegre, esse foi diferente, foi no TSE. Dentre notícias e especulações surgiu o episódio Miss Colômbia, onde Daniel teve seus votos validados na manhã de uma quarta-feira e fora condenado logo à tarde, tudo isso pela decisão do mesmo ministro. Depois disso, foi remarcada uma nova sessão que após alguns adiamentos teve sua decisão toma ontem, e o resultado foi o que esperávamos devido a nossa crença na democracia, Daniel Luiz Bordignon teve os votos anulados e perdeu os direitos políticos por cinco anos a contar de 29 de setembro de 2016.

 

Agora, provavelmente teremos o domingo eleitoral ainda no primeiro trimestre de 2017, até lá, o prefeito será o presidente da câmara que será escolhido no dia da posse dos seus pares em 1° de Janeiro de 2017.


Escreva um comentário

Ver todos os comentários  

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *