OEA passará por Gravataí para avaliar presos em celas improvisadas



Foto: Gabriel Siota Ganzer | Giro de Gravataí

Nos últimos meses quem procurou a Delegacia de Pronto Atendimento (DPPA) de Gravataí encontrou dificuldades para fazer um simples registro de ocorrência. Ao chegar no local é possível perceber pelo menos três viaturas da Brigada Militar (BM) e outras duas da Guarda Municipal (GM), todas estacionadas na calçada, servindo como cela para os mais de 35 presos que se encontram naquele posto policial.

Com a interdição, devido a superlotação nos presídios do estado, os presos começaram a ser deixados nas delegacias das cidades, causando uma série de transtornos para os agentes da Polícia Civil  e Policiais Militares. Com as diversas prisões e operações feitas pelos órgãos da segurança, as celas das delegacias – local de triagem para os presos, acabou ficando pequena. A única alternativa encontrada foi a detenção em celas provisórias, no caso, as viaturas.

OEA vai investigar

A equipe de jornalismo da TV Record produziu uma matéria sobre as condições nas quais os presos se encontram. Muito deles, detidos no local há mais de 25 dias, sem banho e sem condições para a higiene. A situação chegou até os órgãos e ONGs dos direitos humanos. Conforme a emissora, uma equipe da Organização dos Estados Americanos (OEA) enviará representantes para o Rio Grande do Sul para avaliar as condições dos presos em viaturas. Ainda segundo a reportagem, a Organização das Nações Unidas (ONU) avaliou o caso como crime de tortura.

 


Escreva um comentário

Ver todos os comentários  

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *