O medo da Uberização dos serviços



Você já parou para pensar em como os serviços estão mudando ?

Antes por exemplo, você não tinha nada para assistir/ouvir como entretenimento. Depois surgiu o rádio, depois a TV, assim surgiram os filmes nos cinemas, depois passavam os filmes na TV também, daí surgiu o vídeo cassete, onde você conseguia reproduzir, a qualquer hora, um filme de sua escolha, que você ia na locadora para alugar, então as fitas de vídeo se tornaram um sucesso, eram locadoras com filmes de todos os tipos, de todos os valores em todos os lugares. Então eis que surgem os tais DVDs, quase a mesma coisa que a fita, porém muito mais interessante, mais tecnológico, você tinha muito mais conteúdo, com menus interessantes e qualidade de vídeo muito maior. Após isto surgiram os blue-ray, mesmo tipo de mídia como o DVD, porém muito maior, com muito mais qualidade que o DVD.

Tudo isto, se você for ver bem segue mais ou menos a mesma linha, possibilitar ao usuário reproduzir um filme em sua residência. Mas, na forma como o serviço de fato ocorre não muda em nada, você precisa ter um aparelho diferente para poder reproduzir o blue-ray ou dvd ou fita de vídeo.

Daí, na “era da internet”, vem uma empresa chamada Netflix e pá! Muda tudo o que conhecemos, vira pioneira em um novo formato de serviço e cativa meio mundo.

Mas porque ? Porque a Netflix mudou completamente o serviço, fez com que tudo aquilo que vimos antes ficasse disponível à um click de distância, quem acharia que um dia poderíamos ver nosso filme favorito em qualquer lugar através de um pequeno aparelho chamado smart phone ? Quem diria, que a nossa TV teria um aplicativo que, quando ligado disponibilizaria, com valor irrisório, todos aqueles filmes que antes eu precisava sair para ir à locadora para buscar ?

Sabe aquela qualidade que o usuário sempre procura ? Pois a Netflix tem em seus serviços. Sabe aquele valor ótimo que os usuários buscam e um bom serviço ? Pois a Netflix tem também. Competitividade! O serviço oferecido pela Netflix deixou o mercado enlouquecido, pois nada existia antes com tamanha qualidade e preços desta forma.

E agora, vamos ver porque será que o Uber está por ai, inpregnado em várias cidades do mundo, sendo solicitado, tendo demanda e mais demanda, recebendo elogios e mais elogios? Por que ? Justamente porque ele fez a mesma coisa que o Netflix, deu um serviço de ótimo qualidade com um preço justo! Porém o Uber fez mais um pouco, o Uber abriu a possibilidade de seu serviço ser executado por profissionais locais, o que gerou muitos empregos locais também, deixando não somente o usuário final, mas também os profissionais locais satisfeitos, pois estavam tendo uma outra chance de trabalhar sem ter muito problema, pois os ganhos são justos e satisfatórios. Mas o que incomoda mais a outros profissionais ? O formato de trabalho. Um novo formato de trabalho está em alta neste momento, está entrando no mercado e vem para ficar. Nada pode impedir, é como uma tsunami, que vem e arrasa tudo. Uma empresa que presta serviços de ótima qualidade, com preços justos, dá emprego, com salários justos, conforme o seu trabalho for, ou seja, trabalha conforma deseja e ganha referente a isto, sem patrão chato, sem ser obrigado a nada.

Esta semana, o vereador de Gravataí, Alan Vieira, promoveu uma audiência pública sobre a lei que proíbe a utilização do Uber em Gravataí. Eu participei a vi alguns pontos interessantes:

– O Úber veio para ficar, ninguém mais consegue remover o serviço da cidade, a menos que o próprio Uber, ou seus usuários queiram isto.

– Assim como fez o Netflix, o Uber se apresentou com um serviço de qualidade com preços justos.

– Facilidade de utilização e acesso ao serviço ajudaram o serviço a se fixar na palma da mão de seus usuários.

– Os maiores questionadores dos serviços do Uber são atualmente os taxistas, pois eles mantém um monopólio sobre este tipo de serviço.

– Taxistas também dizem que motoristas de Uber não pagam taxas, o que é uma inverdade, pois, apesar de não serem as mesmas taxas, motoristas de Uber também param impostos e geram receita para as cidades que atuam.

– Taxistas tem alguns descontos que que motoristas de Uber não tem, por exemplo na compra de carro e pagamento de IPVA.

– Taxistas tem como escolher quem vão pegar, e onde vão atuar, ficam bravos com corridas pequenas, e não investiam em seus carros até o momento, já os do Uber não tem como ficar escolhendo corrida, nem por quem vai pegar, nem por rota que irão fazer, o serviço é muito democrático e sem discriminação alguma.

– Perigos todos têm, ambos os casos, tanto para o motorista como para o passageiro. Esta questão acredito ser de outro nível.

Não estou aqui querendo dizer se um é melhor ou outro é pior, estou mostrando-lhes um ponto de vista.

A “Uberização” dos serviços, onde apresenta-se um mercado mais desregulamentado e até muito mais democrático ainda assusta muita gente.

Em geral, monopólios estão caindo em frente a colaboratividade da sociedade, que está irriquieta com a possibilidade de ver sua vida cada vez mais controlada por poucos. Quando se tem muitos, poucos não tem força!

Para finalizar, pense assim: um dia a empresa de velas ficou brava com a empresa de lâmpadas, a empresa de carroça, já ficou brava com a empresa de carros, as empresas de combustível estão enfurecidas com as empresas de carros elétricos, empresas de energia não gostam de empresas de energia limpa solar, e por ai vai…

O progresso está sempre ai, coisas existem hoje, e amanhã não mais, serviços funcionam hoje e amanhã de forma diferente, clientes que hoje te escolhem amanhã necessitam que você se renove, se tudo fica da mesma forma a vida não caminha para frente, fica estagnada.

Você mesmo, que está lendo isto, será que não precisa se renovar também ?


Escreva um comentário

Ver todos os comentários  

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *