Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Jovem de 17 anos afirma ter sido dopada em casa noturna em Gravataí

Giro de Gravataí/Especial

Uma jovem de 17 anos afirma ter sido dopada em uma casa noturna, na qual trabalhava de forma irregular, em Gravataí. Conforme o registro policial feito na 2ª Delegacia de Polícia (DP), ela relatou ao conselho tutelar que trabalhava há cerca de três semanas no local, e que durante um atendimento, se sentiu mal, sendo levada por uma amiga para a Unidade de Pronto Atendimento de Gravataí.

Ainda segundo consta no registro, ela teria tido uma overdose por consumo de drogas e chegou com convulsão à unidade. No entanto, ela afirmou que estava tomando um energético quando ocorreu o fato, e que não consome drogas, e nem bebidas alcoólicas. Ela, que precisou ser reanimada, suspeita que tenha sido dopada pelas próprias colegas de trabalho que teriam ficado com inveja de sua chegada ao local.

Caso é de exploração sexual 

De acordo com a coordenadora do Conselho Tutelar Oeste, que acolheu a menor, Greicy Kelli da Silveira Santos, a jovem relatou que estava atendendo a um cliente quando se sentiu mal e desmaiou. Ainda segundo ela, não é o primeiro caso envolvendo adolescentes trabalhando na mesma rede de casas de prostituição na cidade. “No último mês acolhemos um jovem de quinze anos que trabalhava em uma das casas desta mesma rede. Ele desempenhava funções de portaria e bar quando estava no local.

A lei permite que a partir dos 14 anos o jovem pode trabalhar, mas não em ambientes como estes, isso a lei é bem clara. No caso desta jovem, a direção da UPA nos informou da entrada dela e fomos fazer o acolhimento. Ficamos sabendo do caso e não só registramos uma ocorrência como também encaminhamos um ofício ao Ministério Público (MP), que trabalha de forma conjunta conosco para que sejam tomadas medidas mais rígidas quando adolescentes são flagradas em casas de prostituição”, destacou a conselheira.

A reportagem do Giro de Gravataí tentou conversar com os responsáveis do estabelecimento citados na ocorrência policial, mas até o fechamento desta matéria não tivemos retorno. O caso também poderá ser investigado pela Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher de Gravataí. Um reunião entre os conselhos Oeste e Leste deverá ocorrer na próxima semana para estudar medidas que visam terminar com a exploração sexual de menores de idade.

Write a Comment

view all comments