Fundarc entrega premiação para bandas vencedoras do festival Inovamúsica



Andreo Fischer – Giro de Gravataí

A banda Na Função, venceu o segundo Festival InovaMúsica, que premia os talentos locais com a gravação de um CD e mais 80 horas de gravação em estúdio. Durante o ano passado, o projeto percorreu os quatro cantos da cidade em quatro etapas, para promover as eliminatórias. No total eram 24 bandas, e em cada etapa eram eliminadas cinco, através da votação dos jurados.

IMG_0274

Foto: Andreo Fischer/Divulgação

O ritmo era intenso, tanto que as apresentações normalmente feitas em praça pública eram transferidas para locais cobertos em caso de chuva. Essa manobra era necessária para não atrasar o cronograma de todo o projeto e da produção do CD.

 

O corpo técnico era formado por três jurados:

 

Edu coelho: músico, produtor, engenheiro de som e presidente dos jurados. Cabia a ele proceder o voto de desempate entre seus colegas, caso houvesse. Mark B: rapper e locutor de uma rádio da capital gaúcha. Marcão Acosta: Músico e professor.

 

A diretora-presidente da Fundarc (fundação de cultura da cidade), Fernanda Fraga nos conta que as apresentações das etapas dos bairros era bem frequentadas:

 

– Nós chegamos nas comunidades e dialogamos com os moradores, assim a nossa receptividade era bem positiva e o público até aumentou se comparado com a primeira edição do festival.

 

Perguntada se as bandas registraram crescimento na carreira depois de entrar no festival, Fernanda diz que os músicos ganharam agendas cheias e mais visibilidade. Houve até shows da banda vencedora no litoral norte gaúcho e o nome de Gravataí foi citado por lá em gratidão às oportunidades abertas.

 

– Quando assumimos a gestão da Fundarc, foi observado que havia uma ausência de projetos de valorização da música local. Foi assim que nasceu o InovaMúsica, que visa justamente a consertar essa ausência. E o resultado foi que conseguimos dar visibilidade aos talentos gravataienses e ainda levar essa arte aos bairros de nosso município. – Explica

 

E justamente isso estava no edital do festival: as bandas tem de serem residentes em Gravataí e ainda todo o repertório deve ser autoral, ou seja, não podem executar letras de outros artistas.

 

O presidente dos jurados, Edu Coelho dá sua palavra:

 

– É importante que a cidade tenha um movimento cultural para enaltecer seus valores artísticos.

 

Segundo Edu, o nível das bandas eram excelentes e foi uma tarefa difícil escolher os finalistas. Ele acredita que a música é o retrato do momento e torce para que as bandas continuem seus trabalhos e amadurecem profissionalmente.

Fora do contexto do festival, a reportagem perguntou para Edu o que ele achava sobre o atual cenário musical, tendo em vista que pessoas “sem talento” fazem sucesso absoluto e Edu diz que o povo deve escolher o que achar conveniente:

 

– Música é movimento e o movimento pode circular por várias áreas. A arte é importante para as pessoas discernirem o comportamento das atividades que estão sendo feitas. – Relata

 

As cópias dos CDs foram pagas com recursos da Fundarc, da Lei de Incentivo a Cultura – Pró Cultura RS e da empresa de transporte coletivo Sogil. Autoridades estiverem presentes no evento, dentre elas o prefeito Marco Alba. A cerimônia encerrou com uma apresentação da Na Função e com a distribuição dos CDs entre os frequentadores do shopping, mas o CD também estará disponível para retirada gratuita na sede da Fundarc.


Escreva um comentário

Ver todos os comentários  

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *