Exclusivo | Outras duas crianças seriam mortas no mesmo ritual; mandantes teriam negócios em Gravataí

Gravataí ainda estava em fase de recuperação após o atentado a tiros, ocorrido em outubro do ano passado, que vitimou duas pessoas e feriu outras 33, no bairro Morada do Vale II, quando mais uma barbárie veio à tona. A cidade, que já sofria com a insegurança, após a intensa disputa por território entre as facções, agora viraria alvo de um crime macabro, e que chocou moradores, os policiais que realizaram as diligências durante a investigação, e que virou até notícia internacional.

O Giro de Gravataí conversou com o delegado Moacir Fermino, que ficou à frente do caso. Ele contou em detalhes o crime macabro, e fez outras revelações, estas exclusivas, sobre o ritual satânico praticado em Gravataí. Fermino afirmou que no decorrer da investigação, o grupo suspeito da prática pegaria mais outras duas crianças, que segundo ele, também seriam sacrificadas. “Durante a investigação, descobrimos que outras duas crianças seriam sequestradas, ou compradas, também na Argentina, para serem mortas da mesma maneira que este casal de irmãos. Sabemos também que as futuras vítimas seriam de mesmo sangue, padronizando o ritual por exigência do bruxo”, afirmou ele.

Fermino ainda conta que Jair da Silva e Paulo Ademir Norbert da Silva, teriam encomendado o ritual para atrair sucesso financeiro. Eles teriam pago R$ 25 mil ao bruxo para a realização do crime. No entanto, o delegado afirmou que os sócios também teriam terrenos em Gravataí, e buscavam expandir ainda mais seus negócios. Ao final da conversa, ele informou que documentos foram encontrados no interior do cofre, no templo em Gravataí, mas ao ser perguntado do conteúdo, preferiu não divulgar, a fim de não atrapalhar futuras investigações. “Além dos materiais apresentados tinha documentos dentro do cofre com nome de algumas pessoas, mas isso vai ser investigado, são de Gravataí, mas não posso revelar agora”, finalizou ele.

Gravataí na rota dos rituais? Polícia não descarta

A Polícia Civil também não descartou a hipótese de que o templo em Gravataí tenha sido utilizado para outros sacrifícios, também envolvendo crianças. A investigação informou que após a confirmação de que as crianças esquartejadas eram Argentinas, diversas informações sobre o paradeiro de outros menores, desaparecidos, chegaram até a polícia gaúcha. Um outro ponto que reforça a informação é a influência do “bruxo” de Gravataí no meio satânico. Sílvio é um dos dez magos mais conhecidos do mundo, ele ainda possui um documentário de duas horas no canal History Channel, afirmou o delegado na coletiva de imprensa.

Os detalhes do ritual

Conforme revelou a investigação, para fazer o ritual de prosperidade, os clientes de Silvio tiveram que renunciar a Jesus Cristo, indo a uma Igreja Católica e pingando uma gota de seu sangue em uma Bíblia aberta na frente do altar. A Bíblia sagrada deveria permanecer aberta por sete dias, prazo que era dado para que Lúcifer se manifestasse, e depois teria sido levada para o templo satânico na região de Morungava, em Gravataí.

Com Lúcifer manifestado, um demônio de nome Moloch era invocado para o sacrifício das vítimas. Foi assim que o “bruxo” orientou Jair e Paulo a fazerem. Após isso, eles deveriam conseguir duas crianças de mesmo sangue. Outro ponto que chocou os próprios investigadores foram as circunstâncias no qual as crianças foram mortas.

“O que sabemos até agora é que o menino ingeriu bebida alcoólica, e foi morto quando estava em estado de coma. Já a menina apresenta ferimentos nos braços e ferimentos por arma branca, possivelmente foi esfaqueada ao tentar reagir. É possível também que eles tenham praticado abusos sexuais com as crianças, depois, comendo pedaços deles e bebendo o sangue dos mesmos”, contou o delegado.

Os sete indiciados

A Polícia Civil indiciou sete pessoas pela participação no ritual satânico. Além do “bruxo” Sílvio Fernandes Rodrigues, 44 anos, Jair da Silva, empresário e morador de Novo Hamburgo, é apontado como o principal “cliente”, que teria encomendado o suposto ritual de prosperidade após ter sido apresentado por seu sócio, Paulo Ademir Norbert da Silva, que está foragido. Dois filhos de Jair teriam participado do ritual: Andrei Jorge da Silva, que está preso, e Anderson da Silva, que é procurado. Por último, Márcio Miranda Brustolin, que foi detido na sexta-feira passada, também teria envolvimento no ritual, como discípulo do bruxo.

Defesa

A reportagem não conseguiu contato com a defesa dos suspeitos. À polícia todos os presos negaram participação nos assassinatos. A Polícia Civil aguarda as informações das autoridades da Argentina para esclarecer o caso por completo.


2 Comentários

Escreva um comentário
  1. Maria Fátima Pompeu de Mattos
    Janeiro 09, 20:32 Maria Fátima Pompeu de Mattos

    Seria de fundamental importância que, escavassem o local do templo, pois são muitas crianças que desapareceram sem deixar rasto, como o menino Gabriel (Vila Anair, Cachoeirinha; a adolescente Graziela, (13) desaparecida da escola Alberto Pasqualini da Morada do Vale II,, (2006/07, inclusive foi o padastro dela que a deixou na escola e, se não me engano, no carro dele, (segundo a investigação na época), havia terra, barro .. Pode ter ligação com a ceita! Fica a dica para a Investigacao Policial.

    Reply this comment
  2. Janeiro 10, 18:01 Caso de ritual satânico em Gravataí tem repercussão internacional – Giro de Gravataí

    […] tem repercussão internacional 0 Geral Gravataí mapeada e monitorada 24 horas por dia 0 Destaque Home Exclusivo | Outras duas crianças seriam mortas no mesmo ritual; mandantes teriam neg… 0 Geral Cronograma de saques do PIS/Pasep será divulgado na segunda-feira 0 Destaque […]

    Reply this comment

Escreva um comentário

ver mais comentários  

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Campos obrigatórios marcados como *