Conheça um pouco do Canil Municipal de Gravataí



Andreo Fischer – Giro de Gravataí/Especial

O distrito gravataiense de Costa do Ipiranga é um lugar encantador. Tem belas paisagens, pessoas simples e serviços públicos importantes, como posto de saúde, escola, subprefeitura e o canil da cidade. Fomos conferir de perto o trabalho de quem cuida de quase 500 cães e a diretora do local, Luana Trindade é quem conduz a visita.

IMG_0321

Foto: Andreo Fischer | Divulgação

Começamos circulando pelas instalações do canil e vimos que o espaço é complexo no sentido de que ele é completo para bem receber os animais em todos os estágios. Há baias para cachorros e cavalos e uma estrutura hospitalar veterinária.

Luana está trabalhando no canil desde abril de 2012, quando iniciou fazendo serviços essenciais como tratamento dos cães e até atender o telefone caso fosse preciso.

Ela começa nossa conversa dizendo que “desde 2012 o canil virou canil de verdade” relatando que o local era mero “depósito de animais” que viviam em condições precárias de saúde, higiene e alimentação. O local virou alvo de interdição do Ministério Público do RS e a partir daí a prefeitura de Gravataí no governo do falecido prefeito interino Acimar Silva, deu início a um novo projeto para tratar dos peludos. Luana diz que o atual canil é fonte de inspiração para outras cidades que fazem visitas ao espaço em busca de ideias para implantar em seus municípios.

 

A diretora do espaço que nomeada para tal cargo pelo atual prefeito, se diz preocupada com o futuro do canil caso o governo mude nas próximas eleições.

 

Canil é um “centro de bem-estar animal e um hospital veterinário” Com essas palavras, Luana Trindade define o espaço dizendo que o local recolhe somente animais sem dono que precisem de cuidados médicos. Ali é oferecido castração e cirurgia óssea e a diretora diz que a maioria dos bichos tratados no centro são devolvidos aos seus locais de origem, tendo em vista que os animais são comunitários, situação muito comum em diversos pontos de Gravataí. Porém, ela faz um adendo se referindo aos animais bastante enfermos, como cegos e mancos, estes ficam no canil à espera de adoção.

 

Abandonos em frente ao canil: Luana lamenta que isso ainda seja comum e relata dificuldades em flagrar os cidadãos. Estes, deixam seus carros até certa altura e seguem até o canil ou a subprefeitura com uma caixa cheia de filhotes e deixam ali mesmo. Há o risco iminente dos caminhões da prefeitura ou os ônibus do bairro passarem por acidente em cima dessas caixas, podendo vitimar os cachorrinhos. Inclusive o repórter que vos escreve observou uma placa da Brigada Militar na entrada do canil com diversos alertas quando ao crime de abandono de animais, frisando inclusive a possibilidade de multa e prisão. Em vão.

 

Cinomose: A diretora do Canil Municipal alerta que hoje o espaço não recebe filhotes (exceção de casos especiais) por causa de uma eventual contaminação de cinomose que os cachorros adultos do centro podem transmitir aos filhotes, mas segundo Luana isso é apenas uma preocupação já que casos assim não teriam ocorrido antes.

 

Números caninos: Luana estima que há em todo o território gravataiense cerca de 15 mil cães de rua e outros 5 mil já foram castrados pelo centro, evitando assim proliferação de mais cachorros abandonados pela cidade.

 

# São 48 baias para os cães descansarem

# Mais 12 para os cavalos

# Setor pós-operatório com 6 baias pequenas

# Setor de tratamento com 12 baias

# Quarentena com outras 12 baias

# Sala de cirurgia

# Ambulatório

# Uma veterinária concursada, três estagiários de veterinária e 3 funcionários administrativos.

 

Plantão 24 horas e sistemática de denúncias: O local atende por dois telefones casos urgentes de cães e cavalos que precisem de atendimento veterinário por motivos de doença ou acidente com óbvia gravidade. Luana explica que em caso de denúncias, o cidadão de preferência deve enviar fotos do animal denunciado porque dessa forma o canil consegue com total facilidade junto à Justiça e ao Ministério Público, um mandado judicial para que a equipe do canil mais a Guarda Municipal vá até ao agressor para lhe tomar o animal e o encaminhar ao canil para os devidos cuidados. Mas em caso de denúncias consideradas “leves”, aquela que não representa perigo à vida do bicho, o canil de acordo com as informações recebidas na denúncia, encaminha uma notificação extra judicial ao acusado para que o mesmo sane de forma satisfatória o conteúdo da denúncia, devendo ainda comparecer ao local para que prove que assim o fez. Luana resume: “a carta que o acusado recebe causa impacto e isso já basta para resolver o problema.”

Quem quiser adotar um cavalo do canil precisa saber que será um fiel depositário, ou seja, como os cavalos (e por vezes cães) são retirados de seus donos por mandados judiciais (maus tratos, abandono e outros) e como está correndo um processo no fórum o proprietário pode se defender nos autos e o juiz poderá determinar que o adotante (fiel depositário) devolva o cavalo ao antigo dono. Mas Luana diz que na prática isso não ocorre tendo que em vista que os antigos proprietários dos animais são pessoas humildes e acabam não se envolvendo ainda mais nessa história.

Ainda sobre as denúncias, Luana disse que o último cidadão que abandonou filhotes na porta do canil é morador da cidade de Cachoeirinha e indignada ela diz “que fez ele voltar para buscar os cães”. O que tem sido uma constante. Através das ligações dos denunciantes, a equipe consegue localizar o endereço do transgressor da lei pela placa de seu carro e assim consegue ir até a casa do cidadão para lhe orientar sobre seu erro cometido e aplicar a multa pertinente ao mesmo.

 

Governo municipal

Luana Trindade comenta sobre a cidade alega que mora na Costa do Ipiranga fazem mais de vinte anos e que a cidade hoje está “outro mundo”. Diz que não falta nada ao canil, isso vai desde o material de escritório passando pelas linhas telefônicas, ração, cuidados veterinários, etc.

Sente que está sendo perseguida no Facebook por pessoas que não conhecem a rotina do canil e que querem apenas tumultuar. Para essas e outras pessoas, Luana diz que o lugar está de portas abertas todos os dias para adoção dos cachorrinhos e que pela parte da tarde está aberto apenas para visitação.

Serviço

Castração gratuita: Ser morador de Gravataí e ter renda de até dois salários mínimos.

Telefone para mais informações: 51 3486-0229


Escreva um comentário

Ver todos os comentários  

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *