André Luiz Santos deixa a coluna de política do Giro de Gravataí

 

André Luiz Santos (primeiro da esquerda para a direita) em convenção pela juventude do PMDB de Gravataí | Foto: Reprodução

O jovem André Luiz dos Santos, popularmente conhecido como “Andrezinho”, deixou oficialmente na tarde desta última terça-feira (05) o posto de colunista de assuntos políticos do Giro de Gravataí. André foi eleito presidente da juventude do PMDB de Gravataí e optou pela saída dos editoriais do jornal. Segundo ele, sua atual ocupação iria dificultar a isenção dos assuntos relacionados a política da cidade.

“Comunico minha saída da equipe por um motivo muito simples. Não vejo em bom tom um líder de movimento partidário estar escrevendo sobre política em um site de notícias, e como meu tempo é escasso e a política é a área que eu gosto de escrever, comentar e analisar, eu decidi deixar o Giro de Gravataí, também para manter a integridade e imparcialidade do site”, completou André.

Ele não só produziu matérias e expressou opiniões sobre política, como também escreveu artigos e reportagens sobre atletas da cidade e assuntos de cotidiano do município. Abaixo postamos o artigo de maior repercussão em sua coluna.

Opinião política: Abílio, uma pena não ter te conhecido

Lá pelos meus seis, quase sete anos de idade, eu fui pela primeira vez em um evento político de época eleitoral, acompanhando meu pai, eu estava lá, num comício do seu Abílio que em 2004 tentava voltar à prefeitura dezesseis anos depois de ter sido prefeito da nossa cidade.

Adorei aquela muvuca, bandeiras, música, adesivos, não sei por que, mas gostei daquela movimentação, a maioria das crianças e dos jovens não são chegados à política, mas eu sempre parei pra prestar atenção depois daquele comício do Abílio e daquela campanha de 2004. O pai era eleitor fiel dele, eu tinha aqueles copos dele com o número 14 do PTB aqui em casa, não tenho mais, uma pena. Lembro também daquele debate decisivo que mudou os rumos da campanha, o pai viu tudo atentamente, já a mãe, não sei por que, não era muito adepta da política pregada pelo ex-prefeito e ex-deputado, meus pais até discutiram por causa disso naquela eleição. Um sarro. Desde pequeno eu me interessava nos movimentos políticos, muito ao contrario das outras crianças, isso vinha de dentro, simplesmente sempre achei interessante e importante o debate sobre esse assunto.

Mas eu não tive a oportunidade de conhecer o Abílio, gostaria, muito, gosto de história e com ele estava grande parte dos fatos políticos ocorridos em Gravataí ao longo dos anos da nossa cidade. Mas sem o conhece-lo eu posso afirmar, foi num comício do Abílio, junto com o meu pai, que começou a despertar em mim o interesse político, talvez se eu tivesse ficado em casa naquela noite eu não estaria hoje aqui escrevendo sobre política ou interessado nos movimentos dessa ciência, e mesmo sem o ter conhecido pessoalmente e o visto de longe algumas poucas vezes eu posso afirmar, o Abílio faz parte da minha história como militante político, assim faz parte da história do Marco Alba, do Francisco Pinho, do Edir Oliveira, do PTB e de muitos outros políticos da cidade e do estado. E é com pesar e muito sentimento que eu digo: Adeus Abílio.


Escreva um comentário

ver mais comentários  

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Campos obrigatórios marcados como *