Administração do Shopping de Gravataí fala sobre agressão sofrida por funcionário

Logo após o episódio de agressão sofrida por um funcionário do Shopping de Gravataí, a administração entrou em contato com o Giro de Gravataí para dar detalhes e informações sobre o caso. Em uma conversa por telefone, a superintendente do shopping, Silvia Rachewsky Lemos, esclareceu as dúvidas sobre o fato ocorrido e também contou um pouco de como o caso será tratado.

GG – Giro de Gravataí – Como tu ficou sabendo da agressão?

Silvia Rachewsky: Assim que ocorreu o episódio eu tomei conhecimento. Como a vítima foi um funcionário do Shopping no qual sou responsável, prontamente pedi para que ele viesse falar comigo e contar detalhes do fato.

GG – Giro de Gravataí – Como o funcionário estava?

Silvia Rachewsky: Ele apresentava algumas marcas e hematomas pelo corpo, principalmente na região do rosto. Assim que ele chegou já o auxiliamos e prestamos o serviço de primeiros socorros. Conversei bastante com ele, que estava um pouco nervoso com toda aquela situação, logo após orientamos ele a ir até a delegacia para registrar uma ocorrência.

GG – Giro de Gravataí – Como foram às manifestações dos demais funcionários?

Silvia Rachewsky: Estou há pouco tempo na administração do Shopping, mas o que deu pra perceber é que o funcionário agredido é uma pessoa boa, querida pelos colegas de serviço. Todos ficaram chocados com aquela agressão. Vimos também diversas manifestações em rede social, todas em favor do nosso funcionário. Ele também não tem nenhum registro de má conduta.

GG – Giro de Gravataí – Quais foram às primeiras medidas tomadas?

Silvia Rachewsky: Prontamente conversei com o companheiro do nosso funcionário. Ele me perguntou se esse episódio poderia acarretar em alguma demissão ou algo do gênero. Expliquei pra ele que o funcionário não tem nenhum motivo para ser demitido. Em hipótese alguma vamos fazer isso! Assim também fui conversar com o gerente da loja onde o agressor trabalha. Como não tenho autonomia dentro do estabelecimento, pedi para que se possível o agressor seja transferido para outra unidade.

Nós repudiamos qualquer tipo de preconceito. Nossa primeira preocupação foi dar atenção devida ao funcionário, tanto física como emocional, e estamos fazendo o possível para que nosso funcionário se recupere e volte a trabalhar. finalizou Silvia.

Entenda o caso: 

Funcionário é agredido em banheiro do Shopping de Gravataí


Escreva um comentário

ver mais comentários  

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Campos obrigatórios marcados como *